“É um dia muito especial para mim por receber este troféu. Mas vai ser surpreendente por outro motivo: quero aproveitar esta oportunidade para anunciar o fim da minha carreira na F1. Tinha um sonho desde os seis anos de idade: ser campeão do Mundo de F1. Conquistei aquilo que esteve sempre muito claro na minha cabeça e recordarei este momento para sempre”, adiantou Rosberg, explicando:

“Em Suzuka [Japão], quando se perspetivava a conquista do título mundial, comecei a pensar em abandonar. Tomei a minha decisão na segunda-feira à noite, depois de ter refletido durante o dia.”

“Agora que concretizei este sonho de criança trabalhando duro, com sacrifícios, com dor, não me sinto com vontade de manter o mesmo nível de compromisso. Não o quero fazer de novo. Decidi ouvir o meu coração. Quero parar e avançar para outras coisas, que é o que me parece certo e sinto-me animado. Obrigado pelo apoio durante todos estes anos”, acrescentou.

O alemão de 31 anos iniciou a carreira em 2006 tendo participado em 206 Grandes Prémios e somado 23 vitórias (57 pódios) e 30 “pole positions”. No domingo, em Abu Dhabi, tornou-se no 33.º campeão mundial da história da F1.