“Viajei para Lisboa para assinar pelo Sporting e…assinei pelo Benfica”

Em entrevista ao CM, ainda hoje não faz ideia de como foi parar ao SL Benfica. A verdade é que no clube da Luz acabou por ser um jogador histórico. Jorge Gomes veio para Portugal em 1975 para jogar cá durante seis meses, por empréstimo do Vasco da Gama, e por cá ficou até hoje. Tornou-se o primeiro jogador estrangeiro a vestir a camisola do Benfica, mas o destino era o…Sporting CP.

Jorge Gomes, o bom malandro e primeiro estrangeiro do Benfica

“Vim para Portugal, emprestado pelo Vasco da Gama, para jogar no Boavista. No entanto, cheguei quando as inscrições já tinham fechado e fui para o União de Lamas alguns meses até final da época. Na época seguinte, voltei ao Boavista, onde me mantive durante quatro épocas com muitas alegrias e bons êxitos. Foram anos muito bons, despertei o interesse do Benfica e também do Sporting. A negociação foi feita pelo presidente do Boavista, Valentim Loureiro, e com o presidente do Sporting, João Rocha. Fui para o Benfica não sei como, ainda hoje não sei o que aconteceu. A negociação foi feita com o Sporting e viajei para Lisboa para assinar contrato. Quando cheguei ao aeroporto… estava lá o Gaspar Ramos, que era diretor do Benfica. Afinal, estava tudo acertado com o Benfica, estava lá o Valentim Loureiro, e assinei. Nesse mesmo dia, viajei para passar férias no Brasil. Mas fiquei surpreendido, o negócio foi acertado com o Sporting e viajei a saber que, quando voltasse, teria de me apresentar no Benfica [risos]. Não fiquei aborrecido por ser desviado para o Benfica porque acabei por atingir uma dimensão que nunca imaginei. Fiz história porque quebrei um recorde de 75 anos do Benfica sem contratar estrangeiros. Não fazia ideia na altura que era o primeiro estrangeiro e só depois é que fiquei a saber. Para a minha contratação foi necessário, inclusivamente, realizar uma assembleia de sócios para aprovar a minha ida para o clube. Hoje tenho a perceção da importância desse feito mas, na altura, não tinha. Abri as portas a outros jogadores, depois vierem brasileiros, suecos e por aí fora”, disse em entrevista ao CM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *