“Sérgio Conceição disse-me isso cara a cara e senti que estava a ser sincero”

Protagonista da Dragões, Maxi afirma que renovação obriga-o a retribuir confiança

Renovação: ” Tudo o que se viveu com a conquista do título deixou-me cheio de alegria e gratidão. Também foi importante a continuidade do mister. O Sérgio Conceição fez-me saber que gostava de continuar a contar comigo. Disse-me isso cara a cara e senti que estava a ser sincero, isso foi importante para mim. A parte económica não era decisiva, o que queria era continuar no FC Porto e continuar a demonstrar que posso fazer parte deste clube, que posso lutar por um lugar, que quero ser importante e que ajudar a conquistar o que conquistámos no ano passado: o campeonato. Mas sei que tenho de estar melhor do que no ano passado, que tenho de me preparar mais e provar que mereço a confiança que as pessoas depositaram em mim.

Abraço a Sérgio Conceição na chegada ao estágio: “Foi um gesto do momento. Aquele abraço dispensava palavras, era uma forma de dizer obrigado, de agradecer pela confiança. Às vezes um abraço, um olhar ou um cumprimento com as mãos valem mais que mil palavras. Foi o que senti com o treinador e depois com os meus companheiros. Senti que estávamos juntos de novo para mais um ano de luta. A base para o que aí vem é sentir que tens um companheiro que vai deixar a vida em campo pelos outros”.

Saídas de Ricardo e Dalot: “Sinto que tenho mais responsabilidade. Sinto que este ano vai ser mais duro, que vou ter de trabalhar o dobro. Não só por jogar ou não, mas sim para retribuir a confiança que depositaram em mim com a renovação. Fomos campeões e agora temos de demonstrar que somos a mesma equipa do ano passado. Não podemos baixar de nível, temos de manter ou subir. Sabemos que cada jogo vai ser duplamente difícil, porque as equipas vão querer demonstrar o seu valor contra o campeão nacional. Vamos ter de nos preparar melhor”.

Golo na Supertaça: “Foi importante para mim, também porque tinha saído um jogador como o Ricardo, que tinha feito uma época espetacular. Admirava-o muito. No geral, era importante a equipa demonstrar que estava de volta com o mesmo espírito e a mesma vontade da época passada. Queríamos conquistar a Supertaça e, felizmente, tocou-me jogar e marcar um dos golos.”

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.