“Dores nas costas? Sei muito bem avaliar a urgência dos casos”

Frederico Varandas concedeu uma entrevista exclusiva a O JOGO

Na ressaca das polémicas críticas de Bruno de Carvalho ao plantel profissional pelo resultado de Madrid, o tribunal de Alvalade vaiou e pediu a saída do presidente após a receção ao Paços de Ferreira, acabando o líder do clube por abandonar o banco de suplentes com alegadas dores nas costas. Fita para uns, para outros não. Frederico Varandas, o diretor clínico de então, não teve dúvidas.

Sentiu que foi alvo de alguma desinformação ou contrainformação naquele episódio das dores de costas de Bruno de Carvalho, no final do jogo com o Paços de Ferreira? Houve sempre especulação em torno da assistência médica ou falta dela ao presidente…

-Sou médico, acima de tudo! Sei muito bem avaliar a situação clínica e a urgência dos casos. Fiz isto toda a minha vida em urgências de hospitais, teatros de guerra, no banco de suplentes. Clinicamente estava mais do que consciente do que fiz.

Pode-se depreender que foi fita de Bruno de Carvalho?

-Vimos, passados uns minutos, que ele foi a caminhar para a conferência de Imprensa. Jamais colocaria a vida dele ou de outra pessoa em risco. Sou médico e tenho um dever profissional cívico, não sou nada irresponsável.

Houve uma fotografia publicada nas redes sociais em que Bruno de Carvalho estava a ser assistido no balneário…

-Ele sabe quem a tirou e também sabe que não foi alguém do departamento médico. É óbvio que estamos perante mais um caso de contrainformação.

Como foi a sua relação com Bruno de Carvalho?

-Sempre tive uma boa relação profissional; relação pessoal não tive. Bruno de Carvalho renovou o meu contrato quatro ou cinco vezes: eu sempre quis contratos de um ano, pois jamais receberia o que quer que seja se não estivesse a trabalhar no Sporting. Jamais receberia uma indemnização por algum contrato que não tenha sido efetuado, ao contrário de muitos sportinguistas. Muitos saíram e receberam indemnizações durante os últimos sete anos…

Fonte: ojogo.pt

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.